Ana Cristina Cruz Cesar nasceu no Rio de Janeiro em 2 de junho de 1952 ou ainda simplesmente Ana C.. (assim também era conhecida) é filha de Waldo Aranha Lenz e Maria Luisa Cesar. Criou-se em Niterói, Copacabana e os jardins do velho Bennet, È`uma das principais poetas da geração mimeógrafo ou da chamada literatura marginal dos anos 1970.

Ela começou a escrever ainda criança antes mesmo de ser alfabetizada , aso 4 anos ditava poemas para que a sua mãe os escrevesse. A escrita sempre lhe dominou a vida. Em 1969 viaja em intercambia para a Inglaterra e passa um período em Londres onde ela tem um contato com a literatura em língua inglesa. Trazendo na mala escritoras como Emily Dickinson(Estados Unidos),Sylvia Plath(Estados Unidos) e Katherine Mansfield (Nova Zelandia) ela começa a se dedicar a escrita e a tradução e entra para a Faculdade da PUC do Rio aos 19 anos.

Então começa a publicar poemas e textos de prosa poética na década de 1970 em coletaneas, revistas e jornais alternativos. Seus primeiros livros ,Cenas de Abril e Correspondencia Completa, são lançados em edições independentes. Ela fez um mesmtrado em comunicação na UFRJ , passou uam outra temporada na Inglaterra para um mestrado em tradução literária e depois volta ao Rio onde publicou Luvas de Pelica escrito na Inglaterra.

De todos os poetas pertencentes á geração Literatura Marginal ela é a que possui uma escrita mais pessoal ou seja, menos influenciada por outras obras. Seus poemas geralmente em primeira pessoa do singular estabelece um diálogo com a própria esperiencia do mundo.Sua poética é uma navegação de uam imensa variedae de objetos do mundo que podem ser ela própria,livros ,lugares ,cartas.uma dorindefinida,etc.O que discursa em Ana Cristina Cesar es~´a longe de se rum ego , é um eu fragmentado, incompleto, característico e quase que anunciador de uma das mais fortes vertentes da contemporaneidade.

Geralmente em suas obras (assim pode-se dizer) ela mantém uma fina linha entre o ficcional e o auto-biográfico.Ela suicidou-se aos 31 anos atirando-se do apartamento de seus pais.

Poatado por:Tatianne Matos 9º ano F nº 43

5 comentários:

Ana Luísa,Geovanna Karla,Andressa Raissa,Tatianne Matos,Maria Karolina,Eduarda Dayse e Isabelle Laís 9º F disse...

Foi uma das pessoas que mais se destacaram na poesia marginal!

Andressa disse...

Ana Cristina foi realmente um destaque nas poesias.O eu que discursa em Ana Cristina César, longe de ser um ego, é um eu fragmentado, incompleto, característico e quase que anunciador de uma das mais fortes vertentes da contemporaneidade. Por isso mesmo, a morte precoce da autora, em 1983, só reforça esse inacabamento que, de fato, já faz parte do cerne de sua escrita, desde o seu início.

Ana Luísa,Geovanna Karla,Andressa Raissa,Tatianne Matos,Maria Karolina,Eduarda Dayse e Isabelle Laís 9º F disse...

Armando Freitas Filho, amigo de Ana C. desde o início dos anos 1970. Ele diz que antes de se suicidar ela apresentou uma grande crise de depressão , resultado de surtos melancólicos que comecaram depois de sua volta da Inglaterra.
Comentado por: Karilina Félix 9 ano F

Ana Luísa,Geovanna Karla,Andressa Raissa,Tatianne Matos,Maria Karolina,Eduarda Dayse e Isabelle Laís 9º F disse...

Ela morreu em 29 de outubro de 1983 .Muito nova .Que pena!
Comentado por:Eduarda Dayse 9 ano F

Geovanna Karla ;n° 13 ;9° ano F disse...

A vida de Ana foi surpreendente!è uma pena ela ter se suicidado!mas ela devia ter seus motivos!

Postar um comentário

About